BLOG / INFORMAÇÕES


Buffet
//22/07/09

Quem está planejando o casamento sabe que o Buffet é um dos itens mais importantes e também um dos mais trabalhosos para escolher. Entre tantas opções de cardápio, há ainda o sistema de servir: à francesa, à americana, degustação, franco-americano.

     Antes da cerimônia, aposte em drinks não alcoólicos. Mas, em vez de sucos, que podem pesar depois do segundo copo, prefira refrescos, sodas italianas e bebidas típicas brasileiras, como cajuína, que tem feito o maior sucesso nas festas. O sistema degustação (servido em pequenas porções individuais) funciona muito bem, principalmente para os noivos modernos, que preferem uma festa descontraída. Mas é importante deixar sempre uma mesa com comidinhas e garantir que todo mundo seja servido, para evitar que as pessoas mais velhas, por exemplo, fiquem esperando um jantar que nunca vem.

Convite
//22/07/09

 

O convite dá uma idéia de como será a festa: convite formal para casamento formal, convite divertido, festa descontraída.

Simplifique o convite para um casamento em que não haverá festa.
Escolha papéis de boa qualidade (vergé ou couché) em tons claros. Papel escuro pede mais cuidado.

O relevo americano é a impressão mais utilizada, mas prefira um tamanho médio com letras simples e legíveis.

Compre envelopes a mais para o caso de erro, e convites extras para convidados de última hora.

Passe as informações à gráfica de forma clara e guarde uma copia com você.

No máximo, envie anexo ao convite o mapa com a igreja e o local da festa apenas aos convidados que moram em outra cidade.

Embora automaticamente convidados, os padrinhos também devem receber convites.
Vale a pena contratar um calígrafo para sobrescritar os convites.
Vestido de noiva
//22/07/09

Não se deve deixar que a empolgação fale mais alto quando o assunto é vestido de noiva. O primeiro que se viu pode ser lindo, mas será o mais adequado? À medida que a noiva vê e experimenta vários vestidos, seu gosto vai se aprimorando. O vestido também pode se adaptar ao seu tipo físico, hora e estilo de casamento. Antes de tudo, é preciso decidir se a noiva vai alugar, comprar ou mandar fazer o seu vestido de noiva.

     Não deixar o noivo avistar o vestido de noiva é um detalhe tão ou mais importante quanto escolher o modelo. Muitas vezes sonha-se em um casamento com um maravilhoso vestido, mas na hora de experimentá-lo pode-se mudar de opinião. Isto porque é essencial sentir-se feliz e realizado com o mais importante adereço da noiva. E para fazer a escolha do vestido de noiva ideal, de forma que ele se harmonize com o físico da futura esposa, a antecedência é fundamental. E deve-se lembrar: a noiva será o centro das atenções e todo detalhe será importante, desde o buquê até os acessórios para o vestido dela. Os sapatos, por exemplo, deverão ser confortáveis, pois a noiva deve ter em mente que ficará a cerimônia e a recepção inteirinha com eles. Porém, tudo deverá ficar de acordo com seu critério e estilo. Tudo deverá estar condizente com o momento: um sonho sendo realizado. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Amor no casamento: dom sincero de si
//22/09/11

 

Amor no casamento: dom sincero de si

 

Dom João Carlos Petrini[1]

 

O ser humano, “unidade de dois”, verifica dentro de si uma carência que o abre para o outro, para o diferente, para fora de si. Isto quer dizer que a condição para a realização da pessoa é “ser para o outro”. O desejo de felicidade pode encontrar a própria satisfação somente através do outro.

A família, fundada no matrimônio, corresponde ao desígnio de Deus e permanece como o espaço onde as exigências humanas encontram maior correspondência, isto é, são acolhidas, valorizando os diversos aspectos das relações entre os sexos, sem que nenhum deles fique excluído. Nesse sentido, na família, na relação esponsal, realiza-se o paradoxo da condição humana: “o meu eu és tu”, como Romeu declara a Julieta.

Diante da pessoa do outro sexo o homem descobre com maravilha que não pode viver só e que a diferença sexual é promessa de felicidade na relação de amor. A solidão torna-se, assim, espera de comunhão. A sexualidade revela que a pessoa não vive para a solidão, mas para o encontro e para o dom recíproco de si. A pessoa humana, como criatura de Deus, recebe a vida como dom e é chamada a fazer dom de si mesma. O Concílio Vaticano II (GS 24) afirma: “O homem, única criatura sobre a terra a ser querida por Deus por si mesma, não pode encontrar-se plenamente a não ser no sincero dom de si mesmo”.

No contexto atual, o amor quase sempre é vivido de uma maneira primitiva, típica dos adolescentes: “eu gosto de você, quero você para mim”. Por esse caminho nenhum casal permanece unido por muito tempo. A maturidade do amor tem como ideal a comunhão trinitária e como modelo o amor de Jesus pela Igreja, com fala São Paulo: “maridos amai as vossas esposas como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela” (Ef. 2, 25). Por isso, o verdadeiro amor é aquele capaz de doar-se até o sacrifício para o bem da outra pessoa: “eu gosto de você, eu estou disposto a doar-me, até com sacrifício, para o seu bem”. Cada casal deve empreender um caminho de crescimento, para passar do amor que quer possuir, ao amor que se doa. Este é o caminho para a verdadeira felicidade e satisfação na vida. Alcançar este nível de doação, reciprocamente vivido, fonte da verdadeira realização.

A comunhão nos é doada. Para nós ela é, como disse o Papa João Paulo II, vocação e tarefa. A comunhão entre pessoas, que se concretiza na família prepara uma morada adequada para o homem, para a mulher e para os filhos que gerarem. A vida de comunhão é, por sua natureza, expansiva e cria ambiente de solidariedade, de participação entre os sexos e entre as gerações. Trata-se de um chamado, isto é, do caminho para a mais plena realização pessoal, de acordo com o desígnio do Criador. Trata-se também de uma tarefa, isto é, de um empenho das pessoas para edificar, dia a dia, relacionamentos de aceitação recíproca, acolhimento, perdão, disponibilidade para recomeçar, esperando a plena realização no final do caminho, não necessariamente a cada passo dado. 

 



[1] Bispo de Camaçari – BA e Diretor do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família (71.3334-5748). Para acessar outros textos e se informar de cursos da área de família, acesse: www.humanaaventura.com.br

Bolo e Bem Casados
//30/12/09

     Outra grande preocupação envolve o Buffet. O bolo da festa é um dos elementos mais importantes. A dica para não errar na escolha da decoração dele é sempre levar em conta o estilo da festa. Para um casamento mais romântico, um bolo branco ou em tons claros, delicadamente decorados com flores ou laços feitos com pasta americana, pode ser uma boa pedida. Os bolos rendados ou enfeitados com borboletas e corações também estão entre os mais requisitados pelas noivas.

     Já  entre os doces o mais conhecidos hoje em dia é o Bem Casado. Com mais de 100 anos de existência, este doce é fundamental na maioria das festas e comemorações, peça tradicional em casamentos. Além de muito gostoso, ele chama a atenção pela beleza das embalagens com que são produzidos. Dizem que o Bem Casado é servido no final das festas de casamento para trazer sorte e prosperidade aos noivos recém-casados. Muitas pessoas optam pelo doce como lembrançinhas de casamento. E aí, vale usar a imaginação para criar o enfeite mais bonito.

4